CADÊ?

janeiro 05, 2009

Comemorar o quê?


Proponho, quando outros comemoram os 50 anos da revolução cubana, a leitura de Contra toda a esperança, de Armando Valladares, escritor cubano que, por conta apenas de divergência ideológica com o regime comunista implantado por Fidel Castro, e com apenas 23 anos, foi preso e hospedou-se no inferno por 22 anos.
Se o livro não mais estiver à venda, e somente nesta hipótese, conheçam-no pelo 4shared.

8 comentários:

EMERSON ARAÚJO disse...

Meu caro, M. de Moura Filho, defendo o direito de você ser contra Cuba sempre. Agora, meu caríssimo amigo, você precisa divulgar neste teu blog bacana, as ações destes agentes gratuitos da CIA norte americana contra o povo cubano. Descreva, também, aqui as ações destes fascistas a serviço do império. Você poderia me dizer qual foi o crime deste Armando Valladares? Prefiro, ainda, Nicolas Guillen e Alejo Carpentier do que estes que se dizem a favor da liberdade e que intentam contra a liberdade de um povo escolher o seu próprio destino. Abração!

M. de Moura Filho disse...

Os crimes de Armando Valladares, meu caro Emerson Araújo, são narrados pelo próprio poeta cubano, no livro sugerido como leitura.
Veja, em postagem de hoje, fragmento do livro.
Lamento que não veja a ditadura cubana.

Kenard Kruel disse...

taí, eu desconfiava, mas agora o poeta irmão me apresenta as provas. o tarântula m. de moura filho é um agente laranja duplo. meu deus, morro e não vejo tudo, caríssimo donizete adalto, de saudosa memória.

eu estive em cuba diversas vezes, com o companheiro / camarada fidel castro e sou solidário a ele nesses ataques da cia por intermédio do seu agente pós 69, laranja partida ao meio e duplo.

kenard kruel.

M. de Moura Filho disse...

Sorrio ou choro, Kruel, com a revelação?

EMERSON ARAÚJO disse...

Meu caro, kenard Kruel, você foi muito perverso com o M. de Moura Filho. Agente eu não diria, mas o meu bom amigo e irmão tarântula passa por uma crise que tem se abatido sobre a intelectualidade latina que não conseguiu ainda enxergar que entre Lula e Fidel, Chavez e Raúl existe um fosso grande entre ambos. Os primeiros são pragmáticos, meio-termo, enquanto os seguntos são termos e meio. É isso que a nova direita intelectual não consegue perceber. Mas respeito. Não é Cuba que vai nos separar. Aliás, nada pode nos separar por estes trópicos. Abração aos dois.

M. de Moura Filho disse...

Meu amigo Emerson,
acho que o Kenard foi demasiadamente irônico. Muito Kruel com você.

Kenard Kruel disse...

poeta irmão emerson araújo amanhã, pela manhã, vou ao local de trabalho do tarântula m. de moura filho, codnome leonam, identificação agente pós 69, com o dr. paschoal pinheiro, a segunda maior autoridade em operação plástica do país (sendo ele, para orgulho nosso, piauiense). fazer o que? olhar, cara a cara, a cara dele. bater chapa. escanear. limpar todos os traços. quem sabe encontremos o verdadeiro rosto dele. josé dirceu, quem diria, fez escola em teresíndia, meu caro poeta irmão.

pois é, a gente (sem duplo sentido) convive com o inimigo e não sabe.

morro e não vejo tudo mesmo, meu bom donizete adalto, de saudosa memória.

kenard kruel.

Kenard Kruel disse...

poeta irmão emerson araújo amanhã, pela manhã, vou ao local de trabalho do tarântula m. de moura filho, codnome leonam, identificação agente pós 69, com o dr. paschoal pinheiro, a segunda maior autoridade em operação plástica do país (sendo ele, para orgulho nosso, piauiense). fazer o que? olhar, cara a cara, a cara dele. bater chapa. escanear. limpar todos os traços. quem sabe encontremos o verdadeiro rosto dele. josé dirceu, quem diria, fez escola em teresíndia, meu caro poeta irmão.

pois é, a gente (sem duplo sentido) convive com o inimigo e não sabe.

morro e não vejo tudo mesmo, meu bom donizete adalto, de saudosa memória.

kenard kruel.